Cirurgias combinadas - fazer ou não fazer? - Dr. Ricardo Gozzano
X
X

O Brasil é um dos países que mais realiza procedimentos estéticos ou de reconstrução. É comum encontrarmos pessoas que desejam reparar uma parte incômoda do corpo através de intervenções cirúrgicas, sendo a abdominoplastia, lipoaspiração e mamoplastia as mais procuradas. Entre as opções de procedimentos, as cirurgias combinadas se tornaram uma opção para quem deseja realizar mais de uma cirurgia sem precisar passar por elas separadamente, adiantando assim os resultados.

Os procedimentos associados são viáveis, mas apresentam alguns riscos que devem ser avaliados como idade, histórico de doenças prévias e familiares e exames. Isso se dá por conta da complexidade da cirurgia que naturalmente exige maior tempo tanto de realização, quanto de anestesia, provocando alterações no metabolismo. Um paciente que tenha históricos de hipertensão, problemas cardiológicos ou trombose, por exemplo, pode apresentar problemas durante a cirurgia. Além disso, é necessário que o médico avalie as áreas desejadas para ver se é possível ou não realiza-las de uma única vez.

Entretanto, apesar de exigir mais do profissional e do próprio paciente, existem cirurgias que combinadas oferecem resultados bem mais satisfatórios. O segredo ao optar por um procedimento deste é sempre pensar em cirurgias que se enquadrem na mesma área ou que sejam similares como, por exemplo, prótese de silicone e lipoaspiração, lifting facial e cirurgia das pálpebras ou abdominoplastia e lipoaspiração.

É importante frisar também que nesses casos o valor total é menor e a recuperação é única, dispensando o estresse de passar por mais pós-operatórios para atingir seus objetivos!